Engenharia Agronómica


O curso foi concebido com o intuito de aumentar a produção e produtividade agrícola, de forma a garantir a segurança alimentar sem comprometer o meio ambiente para posterior benefício das gerações vindouras. Por ser corredor de desenvolvimento, inserido numa província (Zambézia) potencialmente rica em diversidade florestal e terras férteis para a prática da agricultura, o distrito de Mocuba foi o local escolhido para ministrar o curso de Engenharia Agronómica da Universidade Zambeze.

Visão

Ser referência no Ensino da Agronomia na região, no país e no mundo, tendo em vista a formação de profissionais comprometidos com base o contínuo aprimoramento e desenvolvimento do ensino e da extensão.

Missão

Formar Engenheiros Agrónomos que possam actuar nos diversos segmentos da agricultura e meio-ambiente, contribuindo para a criação de conhecimento e difusão de novas tecnologias para o sector produtivo, e dessa forma, possibilitar o crescimento da produção agrícola, melhorar a distribuição equitativa de renda e reduzir riscos ambientais.

Valores

  • Integridade;
  • Competência;
  • Aspiração de crescimento profissional, pessoal e institucional;
  • Valorização de desempenho;
  • Integração no seio do Mercado;
  • Comprometimento com a comunidade;
  • Vocação para prestar serviços.

Áreas de actuação

Este profissional actua em áreas ligadas aos solos, fitotécnia, fitossanidade, engenharia rural, ecologia e meio ambiente, horticultura, tecnologia de produtos agrícolas e experimentos.

Duração do curso

O curso de Licenciatura em Engenharia Agronómica tem a duração de quatro anos e meio (4.5 anos), que corresponde há 270 créditos

Estágio de Acreditação

  • Acreditado pelo CNAQ

O Engenheiro Agrónomo deve ser capaz de:

  • Projectar, coordenar, analisar, fiscalizar, assessorar, supervisionar e especificar técnica e economicamente projetos agroindustriais e do agronegócio, aplicando padrões, medidas e controle de qualidade;
  • Realizar vistorias, perícias, avaliações, arbitramentos, laudos e pareceres técnicos, com condutas, atitudes e responsabilidade técnica e social, respeitando a fauna e a flora e promovendo a conservação e/ou a recuperação da qualidade do solo, do ar e da água, com uso de tecnologias integradas e sustentáveis do ambiente; 
  • Actuar na organização e gerenciamento empresarial e comunitário interagindo e influenciando nos processos decisórios de agentes e instituições, na gestão de políticas sectoriais;
  • Produzir, conservar e comercializar alimentos, fibras e outros produtos agrícolas;
  • Comprometer-se com a preservação da biodiversidade no ambiente natural e construído, com sustentabilidade dos sistemas de produção e com melhoria da qualidade de vida; e
  • Compreender processos, tomar decisões e resolver problemas, com base em parâmetros científicos, políticos, econômicos, sociais, ambientais e culturais atendendo às demandas da sociedade.

O engenheiro agrónomo actua na(o):

  • Concepção de planos de desenvolvimento comunitário;
  • Gestão de projectos da área agronómica e de desenvolvimento nos distritos e municípios;
  • Desenho e coordenação de actividades de educação ambiental;
  • Elaboração de termos de referência dos processos de avaliação de impacto ambiental;
  • Interpretação e operacionalização de políticas de desenvolvimento comunitário; e
  • Assessoria nas actividades dos sectores agrícolas ligados a gestão ambiental e desenvolvimento comunitário.

I am text block. Click edit button to change this text. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Ut elit tellus, luctus nec ullamcorper mattis, pulvinar dapibus leo.

Plano Curricular